Comissão de Ensino e Pesquisa

pesquisa.jpg
COORDENAÇÃO DA COMISSÃO:
Camila Megale Almeida-Leite

MEMBROS DA COMISSÃO:
Franco Arsati
Frederico Mota Gonçalves Leite
Julyana Gomes Zagury
Leonardo Rigoldi Bonjardim
Paula Cristina Jordani Ongaro
Reynaldo Leite Martins Junior
Yuri Martins Costa


Nossa especialidade vem se fortalecendo mundialmente graças às inúmeras pesquisas científicas desenvolvidas nos últimos anos e ao empenho das entidades de classe na divulgação do conhecimento, na valorização da área e em sua inserção no serviço público.  A prática da odontologia baseada em evidência tornou possível a revisão dos fatores etiológicos, mecanismos fisiopatológicos e terapêuticas anteriormente preconizados para tratar as DTM/DOF.

Em contrapartida, a maioria dos cursos de graduação em Odontologia do país ainda não possui o conteúdo de DTM/DOF em sua grade curricular, o que dificulta a difusão do conhecimento produzido pela pesquisa, a mudança de paradigmas e a oferta de atendimento à população.

Dentro desse contexto, a Comissão de Ensino e Pesquisa tem como objetivos principais a divulgação do conhecimento científico através da publicação dos Cadernos SBDOF e de matérias no Jornal da SBDOF, planejar a programação científica dos congressos da SBDOF e desenvolver políticas de inserção do conteúdo de DTM/DOF nos cursos de graduação em Odontologia junto às universidades e aos órgãos de regulamentação do ensino superior brasileiro. 
 
Segundo o estatuto, a Comissão de Ensino e Pesquisa tem as seguintes atribuições:

1. Fazer um levantamento dos currículos de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial de todas as instituições de Odontologia do país;

2. Organizar o temário para estudo dos programas de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial e sua integração com disciplinas afins, de acordo com os subsídios coletados, através do levantamento efetuado;

3. Divulgar, através da comunicação, materiais didáticos e métodos atualizados de ensino em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial

4. Coordenar, durante as reuniões anuais da SBDOF, o temário sobre o Ensino de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial.

5. Planejar a programação científica das reuniões da SBDOF.

6. Ter a seu cargo a coordenação do intercâmbio de informações bibliográficas nacionais e estrangeiras;

7. Promover o intercâmbio com entidades congêneres nacionais e estrangeiras;

8. Selecionar anualmente as pesquisas publicadas mais relevantes no campo da Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial, para efeito de sua divulgação com o referendo da SBDOF;

9. Propor linhas de pesquisa para o desenvolvimento no campo da Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial.

10. Propor e/ou executar estudos de revisão bibliográfica sobre temas específicos visando emitir declarações oficiais da SBDOF.

 
 
« Voltar