Fala Presidente

Fala presidente - ed. X

Caros Sócios,
É com sensação de dever cumprido que me despeço da Presidência da NOSSA sociedade nessa edição pós-congresso do nosso jornal. E, sim, eu me refiro sempre à SBDOF como “querida”. Ao assumir tão honrosa missão, junto com nossos colegas Paulo Cunali, Daniela Godoy Gonçalves e Rodrigo Estevão Teixeira, nos propusemos a avançar um pouco mais em relação às excelentes administrações anteriores, dos colegas Paulo Conti e João Henrique Padula e suas respectivas equipes.

Portanto, além de tentar manter o nível do nosso congresso (um verdadeiro desafio, em função da esplêndida qualidade dos eventos anteriores!), pretendíamos interiorizar os eventos científicos da SBDOF (“todo artista tem que ir onde o povo está”) e lançar uma nova publicação que pudesse auxiliar na transferência do conhecimento científico através de uma linguagem simples e direta, porém fundamentada em boa ciência, que pudesse ser disponibilizada para clínicos gerais e estudantes quando buscassem informações de qualidade na internet.

Os objetivos foram alcançados através do apoio aos Eventos Satélites (como o que ocorreu em Curitiba em 2018) e o recém-criado “Dia da DTM e Dor”, sementes que foram plantadas e permanecerão dando frutos a nossa SBDOF. Esse novo evento foi testado com sucesso nas cidades de Uberlândia e Itajaí, e é com satisfação que observamos que a nova Diretoria já começa a receber candidaturas de outras cidades.

Em relação ao nosso Congresso, qualquer elogio que se faça será redundante em relação aos fatos. Desde a grade de programação, o material fornecido aos congressistas, as lembranças aos palestrantes, cada detalhe foi pensado com muito carinho pela Comissão Organizadora, e funcionou como um relógio bem calibrado. Nenhuma palavra de agradecimento será suficiente para meus amigos Liete Zwir, Adriana Lira Ortega, Juliana Stuginski-Barboza, Rodrigo Teixeira e Daniela Godoy.

A SBDOF sempre ouviu seus sócios e desta vez não foi diferente: na avaliação do nosso último grande evento, a qualidade do auditório (plano) e a ausência de uma programação social foram objeto de observações pelos participantes. Em função disso, a Comissão Organizadora procurou incansavelmente por um local que pudesse proporcionar mais conforto durante as palestras, e ainda uma casa noturna que fosse adequada para receber uma festa do evento (que fizemos questão que fosse gratuita para os sócios inscritos no congresso). Nesses dois anos, apesar do “Regime Presidencialista”, a SBDOF sempre foi administrada como um colegiado. Não me recordo de nenhuma das decisões que tenhamos tomado após longos debates, que tenha sido depois entendida como não tendo sido a melhor. Não foram poucas as vezes em que, respeitosamente, discordamos, e não foram poucas as vezes em que eu mudei minha opinião. Que tolo teria sido, se não aproveitasse a experiência e a inteligência dos que se juntaram a mim nessa tarefa.

Agradeço, portanto, a todos que somaram comigo nesse mandato, desde os colaboradores mais próximos até cada Sócio individualmente que em sua rotina diária, no atendimento honesto aos seus pacientes, no cuidado a quem sofre com dor, contribui para uma SBDOF forte e um mundo melhor.

Meu muito obrigado e meu sincero desejo de sucesso à Diretoria que inicia seus trabalhos.

- Reynaldo Leite Martins Jr 
  Presidente no biênio 2017 - 2019
« Voltar