Profissionais

O sócio pergunta, o sócio responde - Dr. Reynaldo Martins Jr.

Na nossa sociedade altamente polarizada e litigiosa e com consumidores cada vez mais exigentes, tem-se tornado relativamente comuns demandas judiciais na área cível questionando tratamentos odontológicos, tanto em relação aos meios quanto aos resultados.

Torna-se, portanto, relevante e fundamental o papel dos Peritos Odontológicos, já que aspectos técnicos essenciais para o debate entre as partes (autor e réu) e para a tomada de decisão pelo Magistrado estão muito além do conhecimento dos operadores do Direito.

Ao contrário do que possa parecer, não é necessário ser especialista em Odontologia Legal para se tornar um perito judicial. A maioria dos Tribunais de Justiça possui em seus websites as instruções para que os próprios interessados possam preencher seus dados cadastrais para fazer parte de um banco de peritos a ser consultado pelos Magistrados quando houver necessidade.

Para responder aos quesitos (perguntas formuladas pelas partes do processo) o perito pode lançar mão de exame clínico, anamnese, análise de exames anteriores do periciando (paciente - parte) e mesmo solicitar exames complementares (por exemplo, de imagens).

Para ler esta entrevista e outras, faça download do último Jornal SBDOF aqui.
« Voltar